terça-feira, 17 de agosto de 2010

Professor Pesquisador: o desafio do Estágio



Com a provocação da autora Maria Tereza Esteban, vamos começar a análsie e reflexão sobre o texto da nossa última aula.

"Até bem pouco tempo, ninguém questionaria o estatuto exclusivamente acadêmico do pesquisador, tendo em vista que pesquisa pressupõe uma fundamentação teórica conssitente, uma ampla leitura crítica da bibliografia especializada; enfim uma longa estrada construída no espaço acadêmico. Como, de repente, aceitar que um professor da escola básica se improvise como pesquisador? Na conta - hegemonia, porém, vem crescendo um movimento questionador e propositivo."

"O processo lógico, cumulativo, linear, qua vai pouco a pouco capacitando o/a aluno/a a tornar-se professor, trabalha com generalizações que permitem visualizar contornos das relações que se estabelecem na sala de aula, mas que não podem informar sobre os pequenos atos cotidianos que dão materialidade a prática pedagógica e e trazem singuliaridade de cada sala, de cada turma, de cada aula, de cada professor/ a, de cada aluno/a, de cada relação. A generalização, ao permitir que se veja qualquer sala de aula, dificulta a percepção das tramas que se atravessam em cada sala de aula específica".

Questões para reflexão:

Quais as interlocuções que o texto traz sobre a questão da pesquisa na formação inicial e continuada?
Quais as consequências de um curso de formação que não incorpora a pesquisa como eixo central?
Como romper com uma concepção de estágio que tem como pauta "a hora de mostrar o que foi aprendido?

Palavra franqueda VIII semestre...

Vamos ao debate?

4 comentários:

Chelley disse...

Acredito que o grande dilema na formação docente encontra-se no diálogo. A autora afirma que a formação atual - linear, generalista,dicotômica - não dá conta do espaço escolar que possui as características inversas: heterogênio, singular e imprevisível. A organização do currículo em conhecimentos teóricos, conhecimentos metodológicos e conhecimentos práticos, faz com que os professores em formação entendam as teorias como verdades absolutas, assim como as metodologias. Em contrapartida, no momento dito "prático", eles nao conseguem fazer uma correlação entre o que foi estudado, e o que está sendo vivenciado, e se sente mais angustiado sabendo que o tempo de respostas (teórico) já está ultrapassado.
A pesquisa entra na formação docente para retomar o diálogo prático-teórico. Pois sabendo que ela emerge da observação do real, a aprendizagem se toranará bastante significativa uma vez que ela está contextualizada. Sendo assim, ela incorpora no pesquisador uma atitude crítica de observação do mundo.

Socorro Cabral disse...

Oi Michele,

Você traz contribuições importantíssimas sobre o texto. Acredito que a pesquisa é fundamental na formação docente, por proporcionar o desenvolviemnto de sujeitos autônomos, livre e emancipados. Sabemos também que o sujeito aprende quando ele se envolve ativamente no processo de produção de conhecimento, desenvolvendo uma atividade mental, usando a linguagem e a comunicação com o outro.

Socorro Cabral

Fernando Peixoto disse...

Pensar o Estágio, como um possibilidade de formação continuada, de reflexão da "prática" e na "prática" e ir além do olhar simplesmente "técnico" do "aprender a fazer", na realidade este acaba por se constituir em um ponta pé inicial de uma série de questionamentos e reflexões, que contribuirão para o processo significativo de aprendizagem. Afinal é preciso não só adquirir conhecimento, mas produzir conhecimento, e não vejo outra forma de fazê-lo, se não por meio da pesquisa. Assim aproveite este instante tão especial no processo de formação inicial do pedagogo.

A pesquisa e formação do professor disse...

Oi Socorro, desculpe eu me meter aqui na conversa, mas eu só passei para agradecer a sua presença e de seus colegas o DCHL na palestra sobre pesquisa ação colaborativa.
Ah, eu tenho acompanhado seu trabalho aqui, bem como de outras pessoas que estão utilizando a blogosfera como ambiente de aprendizagem e estou vendo que as possibilidades são enormes.
Abraços.
Daisi